Seja Bem Vindo ao site da Diocese de Gurúè

A Extensão de Gurúè da Universidade Católica celebra o seu Padroeiro

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
29Ago2014
| Escrito por Assis

 

Brinde  à saúde de alunos e professores  da Universidade Católica no Gurúè na Festa de S. Agostinho

A Extensão de Gurúè da Universidade Católica de Moçambique (EGUCM), celebrou pela primeira vez a Festa do seu Padroeiro Santo Agostinho.

Os vários actos programados pela instituição deram início às 8.00h, na Sé Catedral, com a celebração da Eucaristia presidida por D. Francisco Lerma, Bispo da Diocese e concelebrada pelo Director da extensão, o Pe. Daniel A. Raul, o Chanceler e Secretário da Diocese, Pe. Agostinho Vasconcelos e pelo Pe. Paulino Nicau, Vigário Paroquial e Professor.

A Celebração da Eucaristia na Catedral presidida por D. Francisco Lerma

Participaram os alunos, professores e pessoal auxiliar da extensão e as Autoridades Civis do Distrito e do Município e da Direcção Distrital de Educação e mais outras pessoas convidadas da comunidade.

O Director da Extensão, Dr. Pe. Daniel Raul, abre a sessão académica.

À seguir à Eucaristia, no Cinema Gurúè, realizou-se o acto académico com uma palestra sobre a Vida e Escritos de Santo Agostinho, apresentada pelo Prf. Pe. Paulino Nicau, seguida de um vivo debate entre algumas questões levantada pelo palestrante.

O Dr. Pe. Paulino Nicau orientou a palestra sobre a Vida e Escritos de S. Agostinho

Depois de uma breves palavras de agradecimento a todos os que colaboraram pela instauração da Universidade Católica de Moçambique na Diocese de Gurúè, o Bispo deu por encerrada a sessão académica.

O corte do bolo em sinal de unidade e comunhão entre os membros da família académica

Eis o texto da Homilia proferida por D. Francisco durante a Eucaristia

DUAS PALAVRAS: “SANTO e AGOSTINHO”

I.- Santo e Padroeiro da UCM. Sentido: celebramos alguém que viveu em plenitude o caminho de todo cristão: o discipulado de Jesus, a sua doutrina e o seu exemplo. Ele escreveu no Livro das Confissões: “Para vós sou pastor –bispo- , mas convosco sou colega, sou cristão”.

O Padroeiro é para ser imitado, e exemplo de vida. Mas, ao mesmo tempo, o padroeiro torna-se protector e intercessor junto de Deus pois ele já atingiu a meta aonde todos nós desejamos chegar um dia, meta de plenitude absoluta de paz, verdade, vida e amor.

II. AGOSTINHO

Um homem dos primeiros tempos da nossa era (viveu entre o séculos IV (354) e V (430), mas um homem do nosso tempo pelo seu estilo de vida, pelos seus ensinamentos.

1.A Inquietação.

“O nosso coração está inquieto em quanto não descansa em Vós”.

Um homem de dimensões enormes e muito variadas: uma pessoa, de carne e ossos como nós; um homem que, desde a sua juventude – ainda aluno- andava inquieto à procura da verdade, da beleza, do amor, dimensões humanas que procuro constantemente através de leituras, diálogos, viagens. Uma sede de verdade que nunca se apagou.

Esta é a característica que sobressai na vida de gostinho, grande pensador, filósofo, professor pastor manje e santo, a inquietação do coração, um suspiro de verdade e de amor.

2.O encontro com a Verdade.

Na sua constante procura nada lhe satisfazia até que encontro a luz do Evangelho, a luz de Deus”

Oh eterna verdade! Tarde Vos amei;

Oh beleza tão antiga e tão nova, tarde Vos amei!

Vós estáveis dentro de mim, mas eu estava fora

E fora de mim Vos procurava com o meu espírito deformado”

Agostinho finalmente encontra a Verdade e o Amor absolto, Deus. Abre toda a sua vida a Deus: o seu passado, o seu presente e o seu futuro. Ele escreve:

“Fizeste-nos para Ti, Senhor; e o nosso coração não encontra sossego até não repousar em Ti”.

3. Na sua morte, em Agostinho nada morre.

Para ele, nasce a plenitude da verdade e do amor, a paz definitiva que sempre procurou.

Para nós nasce um caminho a percorrer, um exemplo a imitar e seguir, uma doutrina a ler e estudar.

Desde aquele longínquo 28 de Agosto do ano 430 há qualquer traço de Agostinho na história da humanidade e na história de cada um de nós.

Gurúè, 28.08.2014

+ flerma

 

PEREGRINAÇÃO AO SANTUÁRIO DE Nª Sª RAINHA DO MUNDO. MALUA

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
26Ago2014
| Escrito por Assis

 

 

A imagem de Nª. Sª. que presidiu a Peregrinação

 

Nos dias 23 e 24 de Agosto deste na 2014, realizou-se a 3ª Peregrinação Diocesana ao Santuário de N. S. Rainha do Mundo, em Malua, a 12 kms. de Alto Molocué-Sede.

 

Grupo de jovens peregrinos

Presidida pelo Bispo da Diocese, D. Francisco Lerma, participaram na Peregrinação mais de três mil peregrinos vindos da maior parte das paroquias e capelanias da Diocese, nomeadamente: Molumbo, Lioma, Invinha, Muagiua, Ile, Muliquela, Gilé, Muiane, Moneia e Seminário Diocesano.

Os mais pequenos animaram a Celebração Litúrgica

 

Por volta das 15.00H começou a procissão com a imagem de Nossa Senhora. ÀS 18.00h, e após o acolhimento e bênção dos peregrinos, celebrou-se a Eucaristia em honra de Maria, Rainha do Mundo. A seguir, começo a Adoração ao Santíssimo Sacramento por turnos de uma hora, que durou toda a noite até ás 7.00H do dia seguinte, 24 de Agosto.

A multidão de peregrinos encheram por completo o interior do amplo templo de Malua

 

Às 7.30H. celebrou-se a Eucaristia do XXI Domingo, presidida por D Francisco e pelos Párocos das Paróquias dos peregrinos. A seguir foi o Encerramento da Peregrinação, com a bênção e o Envio dos peregrinos.

O Santuário de Nª Sª Rainha do Mundo. Malua, no dia da Peregrinação
   

CESSAR-FOGO COM EFEITOS IMEDIATOS EM TODO MOÇAMBIQUE

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
25Ago2014
| Escrito por Assis: da Agencia Lusa e SAPO.mz

 

O Governo e a Renamo assinaram ontem em Maputo, ao fim de mais de um ano de negociações, um cessar-fogo, com efeitos imediatos em todo o território, e a base de entendimento para o fim das hostilidades no país.

Foram assinados o memorando de entendimento, os mecanismos de garantia e os termos de referência da equipa militar de observação do cessar de hostilidades.

O acordo foi assinado pelo chefe da delegação governamental e ministro da Agricultura, José Pacheco, e pelo líder dos negociadores da Renamo, Saimone Macuiana, que depois se abraçaram perante os jornalistas, representantes de ambas as partes, numa cerimónia transmitida em directo pelas principais televisões do país.

Macuiana disse "este acordo significa também que a partir deste momento Moçambique começa um novo caminho em que as Forças de Defesa deixam de ser de um partido político, como acontecia até este momento".

"As forças armadas de Moçambique, a Polícia da República de Moçambique e o serviço de segurança de informação do Estado passam a servir o estado moçambicano e são proibidos de participar em actos partidários", revelou, insistindo que este "é o fim de uma jornada difícil mas necessária".

O chefe dos negociadores da Renamo referiu-se ainda ao líder da Renamo, Afonso Dhlakama, que permanece em parte incerta, algures na Gorongosa, no centro do país, desde que o seu acampamento foi atacado pelo exército em Outubro do ano passado.

"Não poderíamos terminar sem saudar o presidente da Renamo, que escapou à morte no dia 21 de Outubro de 2013, na sua residência em Satungira, província de Sofala. Valeu o sacrifício. Com a sua persistência o povo moçambicano ganhou a paz, a liberdade, a democracia e mais uma vez mostrou ao mundo a sua capacidade de entre si resolver os problemas nacionais", observou Macuiana.

No último ano e meio, os confrontos entre exército e o braço armado da oposição provocaram um número indeterminado de mortos e feridos na região da Gorongosa, província de Sofala, bem como nas emboscadas da Renamo a colunas de veículos escoltadas pelos militares num troço de cem quilómetros da única estrada que liga o sul e o centro do país.

Dhlakama disse que só abandonará o seu esconderijo após a declaração de um cessar-fogo, o que se verificou ontem, tendo-se recusado a aceder ao pedido do Presidente da República  de assinar o entendimento ao mais alto nível em Maputo.

Moçambique tem previstas eleições gerais para 15 de Outubro.

Fonte:: SAPO com Lusa

 

ENCERRAMENTO DA IV ASSEMBLEIA DIOCESANA DA JUVENTUDE

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
22Ago2014
Actualizado em 22 Agosto 2014 | Escrito por Assis

 

Os participantes à IV Assembleia Diocesana da Juventude

ENCERRAMENTO DA IV ASSEMBLEIA DIOCESANA DA JUVENTUDE.

Sob o lema “A Juventude hoje e os valores absolutos”, realizou-se de 19 a 22 de Agosto de 2014, na Casa Diocesana de Gurúè, a IV ASSEMBLEIA DIOCESANA DA JUVENTUDE.

Os temas de estudo foram os seguintes :

Dia 20.08.14: “A Fé e a Educação da Fé”, orientado pelo Pe. Agostinho Vasconcelos, Director do Secretariado Diocesano de Pastoral.

Dia 21.08.14: “A Afectividade”, apresentado pelo Pe. Palio Nicau, Vigário Paroquial da Paróquia da Catedral.

Dia 22.8.14: “Visão geral duma Pastoral da juventude”, orientado pelo Diácono Santos Victor.

Na sessão de encerramento, D. Francisco Lerma, Bispo da Diocese, apresentou uma reflexão sobre os temas da recente Jornada Asiática da Juventude.

A chegada de D. Francisco à sessão de encerramento

Participaram 77 jovens, delegados das Paróquias e Capelanias de toda a Dioceses, mais sete Padres e duas Irmãs.

A Assembleia foi encerrada por D. Francisco e concelebrada pelos Padres participantes.

A entrega a Bíblia e a mensagem do Papa Francisco

No fim da celebração D. Francisco entregou a cada participante a Sagrada Escritura e o texto da Homilia do Papa Francisco na Missa de Encerramento da Assembleia Asiática da Juventude.

   

Pág. 1 de 48